FoMO – Fear of Missing Out ou Medo de Ficar de Fora

Atualizado: Ago 23


Quem é que nunca depois de um longo dia de trabalho ou escola tentou desanuviar a mente e pegar no telemóvel para se conectar às suas redes sociais?

E como se sentiu depois de ir passando pelas publicações dos seus amigos, familiares e conhecidos?

Continuamos a deslizar pelas publicações e vemos que um dos nossos amigos esteve a jantar no restaurante mais popular do momento, ou um conhecido está a fazer uma viagem incrível, partilhando as suas aventuras arriscadas e emocionantes. Aos poucos percebemos que quase todas as publicações que vão aparecendo no seu ecrã são muito mais interessantes do que estar deitado no sofá a descansar. E, assim, quando damos conta estamos perante um sentimento de desassossego e inquietação que é uma combinação de exclusão, auto-criticismo e inveja.


Bem, se já se sentiu assim alguma vez ou sente-se assim com alguma frequência, deixem-me que lhe diga que não é o único e que está a sentir algo que é definido como Fear of Missing Out (ou em português, Medo de Ficar de Fora), mais conhecido como FoMO.


Então vamos por partes, que é para entendermos bem o que significa isto, qual o impacto na nossa saúde mental e qual a melhor forma de lidarmos com este sentimento.



--- O que é o FoMO?



O medo de ficar de fora (FoMO) refere-se a um sentimento ou perceção de que os outros estão a divertirem-se mais, a viver vidas melhores ou a experienciarem melhores experiências do que você. Envolve um sentido profundo de inveja e tem um grande impacto na nossa autoestima. Este sentimento é muitas vezes exacerbado pelas redes sociais, como o Facebook ou Instagram.

Nas redes sociais tudo parece tão fácil e tão perfeito, certo?! As redes sociais são a ferramenta perfeita para criar representações exageradas ou falsificadas da nossa vida, o que torna a inveja compreensível de surgir.

Atenção! Sentir FoMO não se refere apenas à ideia de que poderíamos estar a fazer coisas melhores do que estar em casa, deitado no sofá, mas sim o sentimento de que estamos a perder uma experiência fundamentalmente importante que os outros estão a fazer. E isso, pode referir-se a uma ida ao restaurante mais in da sua cidade a uma promoção no local de trabalho.

FoMO está relacionado a um sentimento de exclusão social ou de ansiedade e pode ser sentido tão intensamente que pode conduzir as pessoas a deixarem de fazer o que estão a fazer no momento e juntarem-se ou a permanecerem ligados às redes sociais para saberem ao certo o que está a acontecer em tempo real.


Podemos então dizer que o Medo de Ficar de Fora tem por base o desejo de estabelecer conexão com os outros, para o bem ou para o mal, que atinge todos os grupos sociais independentemente da sua faixa etária.




--- Porque é que eu sinto FoMO?




Bem, em primeiro lugar é preciso atentarmos que muito dificilmente paramos de comparar a nossa vida. A questão é que no passado podíamos observar e até invejar a vida dos outros, mas não estávamos em contacto com a realidade de tantas pessoas, diariamente, a toda a hora. É aí que as redes sociais têm um peso tão grande que faz com que sintamos esta inquietação mais intensa e frequentemente.

Achamos que vamos ficar mais satisfeitos a fazer scroll nas nossas redes sociais e acontece exatamente o oposto.

Pessoas que têm uma autoestima mais baixa, que têm uma noção de sucesso, autoeficácia e produtividade mais baixa têm uma maior tendência em se compararem negativamente com os seus pares. Então, resumidamente, estamos a olhar mais para as vidas dos outros do que para a nossa. Em vez de prestarmos atenção à nossa vida recorremos às redes sociais na busca pela felicidade.


--- O que fazer para minimizar FOMO?


1. Mude o seu foco de atenção – em vez de notar o que lhe falta, tente notar o que já tem;

2. Comece um diário – em vez de esperar aprovação externa, sente-se e escreva sobre as pequenas coisas que o deixam feliz e que o fazem sentir que está a dirigir-se para o que realmente é importante para si;

3. Procure estabelecer relações reais – se sente que precisa de estabelecer relações com outros, faça-o na “vida real”. Convide um amigo para jantar, junte-se a uma atividade social de grupo. Deixe de lado o seu telefone!

4. Foque-se no sentimento de gratidão;

5. Seja mindful – viva o momento presente, o aqui e o agora. Aprecie o que se está a passar neste exato momento!

6. Partilhe – Não se esqueça que não é o único que se sente assim. Todos nós, em determinada altura da nossa vida sentimos medo de ficar de fora. Partilhe o que sente. Vai ajudá-lo a mudar a sua perspetiva e aumentar a sua perceção de pertença e acolhimento.