Pai, como ser?


Há muito tempo atrás alguém me perguntou:

Como é o pai que gostarias de ter tido?


Esta pergunta deixou-me atónita e perdida…

Os meus pensamentos rodaram numa viagem vertiginosa ao passado onde me encontro, ainda, criança. Essa criança como qualquer outra criança precisava de muito pouco, apenas de amor, carinho, atenção e suporte. Falando na voz dessa criança que um dia fui diria que o que me fez mais falta durante a minha infância e adolescência foi a ausência do meu pai. Acredito que há tantos anos atrás esse papel era desempenhado de uma outra forma daquele que é hoje proposto, mas ser pai não é um papel proposto por uma cultura/sociedade.


Ser pai é alma e vida no coração de uma criança, ser pai é fazer sonhar a cabecinha de uma criança, imaginar o quanto este pai consegue fazer: tudo! O meu pai é um super herói, o meu pai é mais bonito que o teu, o meu pai sabe fazer melhor do que o teu – estas são as frases de crianças quando sentem que o pai é tudo, a sua vida, o seu herói.

Há crianças que, infelizmente, percebem que o pai, não tem a capa de herói, que afinal não sabe fazer as coisas tão bem como o pai dos amigos, que é ausente e que não é assim tão “bonito”.


Mas o pai que ao longo do crescimento dos seus filhos continua a ser generoso, amigo, preocupado em continuar a dar alma aos sonhos dos filhos, ser a rede quando porventura esses filhos querem saltar mais alto na aventura da vida e por vezes caem. Que bom ter um pai assim, como me deixa mais tranquila, mais segura, mais confiante, mais aventureira, é como que os super poderes do meu pai tivessem sido transferidos para mim. Obrigada Avô/Pai, porque tu meu querido avô foste este pai, que me ajudou a sonhar, que brincou comigo, que me abraçava com força até quase perder o fôlego.

Ser Pai é sentir que os seus filhos são uma parte de si, da sua existência, da sua energia de viver, a sua fonte de inspiração a sua fonte de certeza de querer viver para os continuar a amar.

Se Pai é sacrifício, é abrir mão da razão para dar lugar à emoção e chorar de alegria por orgulho, por medo, por preocupação.


Tenho ao meu lado um marido/companheiro que é este Pai, que admiro e amo e que constantemente me transporta para os braços do meu avô quando ama os seus/minhas filhos/filhas.


Hoje, ao partilhar estas palavras convosco gostaria de vos fazer sentir este amor de pai e amor de filhos, porque crescer sem super herói é crescer sem asas.

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo