Que stress!!

Atualizado: 19 de Jun de 2020


A importância da gestão do stress no dia-a-dia é um tópico que tem ganho cada vez maior destaque na procura de uma melhoria da saúde mental


DEFINIÇÃO

Stress pode ser definido como o desequilíbrio, real ou percebido, entre as exigências das circunstâncias nas quais a pessoa se encontra e a capacidade individual de adaptação ou resposta a essas exigências.


Portanto, numa situação de stress existe uma ameaça que vem desequilibrar o estado de equilíbrio do indivíduo.

Assim, o nosso corpo vai tentar adaptar-se de forma a fazer frente a esta ameaça.

E é neste esforço que surgem vários dos sintomas que associamos ao stress.

Quando nos sentimos em perigo real ou imaginado, as defesas do organismo reagem rapidamente, num processo automático conhecido como reação de "luta ou fuga” ou “congelamento" - esta é a resposta ao stress. 

Durante essa resposta, o batimento cardíaco aumenta, a respiração é mais rápida, os músculos contraem e a pressão arterial aumenta. Deste modo, o organismo está pronto a agir e a impedir que nos magoemos.


O corpo está desenhado de modo a lidar com pequenas quantidades de stress, sobretudo canalizadas para um único momento. Não estamos, no entanto, equipados para lidar com o stress a longo prazo, de forma continuada. Podemos ficar cansados, sem capacidade de resposta. E o corpo pode sofrer com isso.


Inicialmente, o stress pode ser positivo, contudo para além de um certo nível, este deixa de ser proveitoso e começa a prejudicar gravemente a saúde (eustress e distress).


Podemos distinguir dois tipos de stress : + O stress «positivo»: representa uma «zona ideal de estimulação» e permite boas performances físicas e intelectuais; - O stress «negativo»: localizado em ambos os lados da «zona ideal de estimulação», gera ansiedade, medo, nervosismo, irritabilidade.  



SINTOMAS


Quando alguém está exposto a longos períodos de stress o corpo começa a dar sinais de que não está a responder normalmente devido a uma “sobrecarga” do sistema imunitário:


Sintomas cognitivos

  • Problemas de concentração e de memória

  • Preocupação constante

  • Dificuldade em pensar claramente

  • Pessimismo

  • Sensação de estar assoberbado – demasiadas coisas na cabeça

Sintomas físicos

  • Enxaquecas e cefaleias de tensão

  • Tensão muscular e dores no corpo

  • Insónias

  • Diminuição da libido

  • Dores no peito; taquicardia

  • Oscilações de peso

Sintomas emocionais

  • Agitação

  • Irritabilidade e frustração

  • Incapacidade de relaxar

  • Sensação de isolamento

  • Baixa auto-estima

  • Humor depressivo e sensação de infelicidade

Alterações do comportamento

  • Comer pouco ou excessivamente

  • Dormir pouco ou demasiado

  • Isolamento social

  • Procrastinação

  • Uso de substâncias como álcool, tabaco

  • Comportamentos nervosos como roer as unhas ou fazer movimentos repetidos com a perna, por ex.





COMO LIDAR COM O STRESS


Estratégias de coping – processo de respostas ao nível do pensamento, emoção e comportamento que pretende dar resposta a uma dada situação

  • coping focado no problema (inclui os esforços para resolver o problema e alterar a fonte de stress) – atividades como planificação, procura de ajuda e até inação durante um longo período.


  • coping focado nas emoções (estratégias de gestão emocional, que pretende reduzir ou gerir a angústia emocional) – pode envolver negação, reinterpretação positiva dos acontecimentos e busca de suporte social.