Resoluções de Ano Novo? Sim, não, talvez?



3, 2, 1, FELIZ ANO NOVO!


Quantos de vocês já ouviram ou disseram esta frase na última semana? -“Ano novo, vida nova!” . E quantos de vocês já perguntaram ou responderam à questão: - “Quais são as suas resoluções para este novo ano?”


É natural que este período em que termina mais um ano e se inicia um novo, sejamos impelidos a estabelecer novas metas e desafios pessoais. E enquanto, abrimos a garrafa de espumante e fazemos a contagem decrescente para a chegado do novo ano, começamos mentalmente a listar os nossos objetivos para o novo ano:


“- 5!! - Vou ser mais saudável; 4!! - vou-me inscrever no ginásio; 3!! vou trabalhar menos horas; 2!! vou viajar mais, 1!! vou diminuir o tempo que passo nas redes sociais, e.. Ano Novo, vida nova!!”


Calma, o ano é novo, mas nós continuamos os mesmos!


A realidade é que a grande maioria definiu os seus objetivos para o novo ano que chegou, mas serão muito poucos aqueles que vão conseguir concretizar estes objetivos. Segundo as estatísticas, 80% das pessoas vai falhar, ou pelo menos não vão conseguir manter estes objetivos mais do que alguns meses.


Então, o que fazer?

Podemos manter a nossa tradição de definir novos objetivos e metas para o novo ano, mas precisamos ter atenção ao que nos propomos. Os motivos de a grande maioria de nós falhar em cumprir estas metas passam pelo o facto de estas serem irrealistas, por acreditarmos ingenuamente que conseguimos mudar de um dia para o outro, por serem baseadas no que achamos que os outros esperam de nós, por serem demasiado vagas e por não termos em consideração as nossas características pessoais.


Para haver mudança de comportamento, temos em primeiro lugar de fazer mudanças no modo como pensamos.


Aqui vão algumas ideias a reter que podem ajudá-lo a manter (finalmente!) as resoluções para o seu novo ano:

  1. Escreva as suas resoluções – é fundamental que escreva os seus objetivos. Porquê? Porque a probabilidade de nos esquecermos deles é grande. Porque escrever ajuda-nos a ter maior objetividade e a vai ajudar-nos a combater a nossa resistência (natural) à mudança.

  2. Prepare-se para a mudança – Mudar hábitos não é tarefa fácil, portanto, antes de se atirar de cabeça, pare, pense e prepare-se. Reflita sobre o porquê de querer mudar este hábito.

  3. A suas metas devem ser especificas – tente estabelecer metas que sejam claras e concretas em vez de dizer vagamente “quero ser saudável”. Defina para si o que significa ser saudável, por exemplo “quero fazer exercício físico três vezes por semana”.

  4. A sua resolução deve ser mensurável – vá registando o seu esforço e como está a evoluir.

  5. Os seus objetivos devem ser realistas – não tente dar um passo maior que a sua perna, comece com pequenos objetivos. Se estabelecer metas demasiado exigentes vai acabar por se sentir frustrado. E quando nos sentimos frustrados, a nossa motivação com certeza vai diminuir.

  6. As suas resoluções devem ser relevantes – não se esqueça que está a estabelecer objetivos que devem refletir as suas necessidades, não o que os outros esperam.

  7. As suas resoluções devem motivá-lo – elas devem estar alinhadas com os seus valores, com as suas prioridades, sonhos e aspirações.

  8. Partilhe as suas resoluções com os outros – ao partilharmos com os outros os nossos objetivos, vamos desenvolver um sentido maior de responsabilidade.

  9. Não seja demasiado duro ou critico consigo próprio – não se esqueça, a mudança é difícil e requer muito esforço, portanto, se tiver dificuldades não seja autocritico. Ninguém é perfeito, mas estamos a dar o nosso melhor. Seja compreensivo e empático consigo mesmo e volte a tentar!


Vemo-nos daqui a um ano para fazer o balanço?












8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo